Apesar da implantação das PICS no SUS ter sido iniciada na década de 1980, estas práticas só tiveram maior reconhecimento institucional em 2006, com a criação da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC), publicada na Portaria Ministerial nº 971, de 3 de maio de 2006, sem um plano de implementação e ausência de recurso indutor.

Com muita perseverança e mesmo com obstáculos ainda não superados, hoje, são 29 práticas inseridas no SUS. A existência das PICS na esfera pública, ainda assim, é resultado do empenho e esforço de diversos atores sociais (gestores, profissionais e usuários).

 

Nesse contexto, surge a RedePICS Brasil, um espaço aberto de colaboração, articulação, debate, reflexão e divulgação para   fortalecimento das práticas integrativas, complementares e tradicionais no Sistema Único de Saúde.

Durante o II Encontro de Práticas Integrativas e Complementares do Nordeste, cerca de 700 atores sociais das PICs de todos os estados do Nordeste a ainda alguns do Norte e Sudeste convergiram na decisão de criar a Rede Nacional de Atores Sociais das PICs (RedePICS Brasil), oficializando esta rede informal que vinha sendo formada ao longo dos anos.

A rede é composta por usuários, instituições, movimentos sociais, professores, pesquisadores e demais interessados que se reconhecem enquanto atores sociais no campo das PICs. Os pontos da rede são formados por cada um de nós e se agregam em Nodos Municipais (conjunto dos Pontos da Rede no território municipal) e Nodos Estaduais que congregam os nodos municipais por estado. Além disso, se relacionam em temáticas a partir do interesse comum de diferentes pontos dessa rede.

Temas estratégicos de convergencia da rede

 

• Cuidado (Profissionais de saúde, terapeutas, cuidadores...)

 

• Ensino (Professores, estudantes, profissionais de saúde, terapeutas, cuidadores...)

 

• Pesquisa (pesquisadores, instituições de pesquisa...)

 

• Política (Conselhos, Gestores, Políticos, ONGs, Movimentos sociais)

Objetivos

Geral

Integrar e organizar os diversos atores sociais que trabalham, pesquisam, ensinam, estudam e/ou utilizam as práticas integrativas no SUS para fortalecer as práticas. Tambem promover inclusao dos das medicinas tradicionais brasileiras

.

Específicos

  • Estimular a cidadania e autonomia no cuidado em saúde

  • Gerar informações e produzir notícias sobre as PIC; 

  • Contribuir na organização de atores e informações para o reconhecimento público das PICs

  • Contribuir na institucionalização da Política (PNPIC): contribuir com propostas e na monitoração e assessoramento do processo de implementação da PNPIC no SUS nos diversos níveis de gestão  

  • Instituir canais de comunicação entre a PIC e as diversas instituições públicas, especialmente de educação em saúde e do SUS; 

  • Instituir fóruns de debate para temas prioritários das PIC e  interagir na validação de propostas de implementação;

  • Articular com grupos acadêmicos GT da Abrasco, movimentos e associações agendas comuns.

  • Instituir canais de comunicação e fóruns de debates em PICS;


  • Promover encontros para debates e produção de conhecimento;


  • Organizar, registrar e disponibilizar informações sobre PICS no Brasil;

  • Monitorar e assessorar o processo de implementação da PNPIC;


  • Instrumentalizar os atores em suas reivindicações junto aos órgãos competentes com informações;


  • Instituir canais de comunicação entre as PICS e as diversas instituições públicas.

  • Desenvolver articulações com as instâncias competentes para garantir que a  PNPIC se consolide enquanto política pública, com planos, programas e orçamentos.


  • Sensibilizar gestores, trabalhadores, usuários, educadores e estudantes para as PICS no SUS.
  

 

Como

Pontos da Redes: cada um de nós (reconhecendo-se enquanto ator social em PIC) e definir que tema estratégico ele representa, pode ser:

  • Cuidado (Profissionais de saúde, terapeutas, cuidadores...)

  • Ensino (Professores, estudantes, profissionais de saúde, terapeutas, cuidadores...)

  • Pesquisa (pesquisadores, instituições de pesquisa...)

  • Gestores e atores políticos e sociais (Conselhos de saúde, Gestores, Políticos, ONGs, Movimentos sociais)

  • Usuários

  • Nodos Municipais (conjunto dos Pontos da Rede no território municipal)

  • Nodos Estaduais- 27 nodos que congregam os nodos municipais por estado;

 

 

Metodologia

É um movimento horizontal, não hierárquico, no qual por meio de projetos em comum diferentes atores se articulam, todos se reconhecem e buscam trabalhar juntos. A tomadas de decisões coletivas são realizadas durante os eventos regionais e nacionais. Assim, a REDEPICS busca  promover a participação de todos os atores sociais em PICS e a possibilidade de articulações entre os mesmos. A perspectiva é que a rede se articule a partir de pontos estratégicos  que se caracterizam pelo lugar que determinado ator ocupa, são pessoas que despertam para buscar um diálogo em rede, cada um identifica-se como parceiro e estimula o trabalho solidário:


 

a) Cuidado: profissionais de saúde, terapeutas, etc;


b) Usuários;     

c) Ensino: 
professores, estudantes, profissionais de saúde, instituições

d) Pesquisa: pesquisadores, instituições, universidades;

e) Política: 
conselhos de saúde, gestores, políticos, ONGs, movimentos sociais



  • Facebook Social Icon

© 2015-2020 por RedePics

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now